web analytics
Skip to content

Como Nasceram as Estrelas

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-01

Teatro Carlos Gomes, Vitória – Brazil
Carlos Gomes Theatre, Vitória – Brazil

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-10

Theatro da Paz – XXVIII Festival Internacional de Música do Pará, Belém do Pará – Brasil
Theatro da Paz, 28th International Music Festival of Pará, Belém do Pará – Brazil

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-12

Teatro Anne Frank, A Hebraica – São Paulo, Brazil.
Anne Frank Theatre, A Hebraica, São Paulo – Brazil

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-11

Teatro R. Magalhães Jr., Academia Brasileira de Letras Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
R. Magalhães Jr. Theatre, Brazilian Academy of Letters, Rio de Janeiro – Brazil

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-13

Centro Cultural de Venda Nova, Venda Nova do Imigrante, Brasil;
Venda Nova Cultural Center (Didactic Concert), Venda Nova do Imigrante – Brazil

paulo-patricio-como-nasceram-as-estrelas-clarice-lispector-08

Live drawing on-stage of Como Nasceram as Estrelas – Doze Lendas Brasileiras (How The Stars Were Born – Twelve Brazilian Legends) by Clarice Lispector, an illustrated concert with an original score by Fernando C. Lapa, played by Toy Ensemble and narrated by António Durães and Francis Brosseron – French version.

Premiered at the Grand Auditorium of Oporto Music Conservatory, 12 and 13 of March 2014, and toured Brazil, 9 to 20 of June 2015.

I managed to grab some screenshots, on the first image, Curupira, “ugly as the devil himself and hairy like a bear”, which is “not a crab, but has his feet facing backwards”.

Desenho ao vivo da obra Como Nasceram as Estrelas – Doze Lendas Brasileiras de Clarice Lispector, num concerto ilustrado com música original de Fernando C. Lapa, tocada por Toy Ensemble, com narração de António Durães e Francis Brosseron, versão francesa.

Estreou no Grande Auditório do Conservatório de Música do Porto, 12 e 13 de Março, 2014, seguindo-se uma digressão pelo Brasil entre 9 e 20 de Junho, 2015.

Consegui guardar alguns screenshots, e a abrir a galeria, está o Curupira que é “feio que nem o tinhoso e peludo que nem um urso” que “não é caranguejo, porém seus pés são virados para trás, como se ele fosse andar de marcha a ré”.

Nas fotografias, algumas das actuações no Brasil, de cima para baixo: Teatro Carlos Gomes, Vitória; Theatro da Paz, 28.º Festival Internacional de Música do Pará, Belém do Pará; Teatro Anne Frank, A Hebraica, São Paulo; Teatro R. Magalhães Jr., Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro; Centro Cultural de Venda Nova (Concerto Didáctico), Venda Nova do Imigrante.