O Teu Nome É

“O Teu Nome É” (Your Name Is), a short animated documentary around Gisberta Salce Júnior’s murder – through real testimonials of her friends as well as two of the young men involved in the case.

In 2006, Gisberta Salce Júnior, a homeless, HIV-positive, Brazilian transsexual drug addict was held, brutally tortured and raped for several days, and murdered, by a group of 14 teenagers in an abandoned building in Porto, Portugal.

Exploring issues such as memory, social status, violence, discrimination and gender identity, “O Teu Nome É” follows two of the convicted teenagers, now young men, and hears from Gisberta’s transexual friends, addressing different perspectives and dimensions of the human condition.

“O Teu Nome É” premiered at Curtas Vila do Conde – International Film Festival, July 18, 2021, and since then has been selected for screening at several film festivals, including: Guadalajara International Film Festival, Cinanima – International Animation Film Festival, Zinebi – International Festival of Documentary and Short Film of Bilbao, Caminhos Film Festival, AnimaPIX, Queer Porto – International Queer Film Festival, Millennium Docs Against Gravity Film Festival, Festival Política, Desobedoc, Monstra – Festival de Animação de Lisboa, Animac – International Animation Film Festival of Catalonia, Anima – Brussels International Animation Film Festival, São Paulo International Short Film Festival.

Awards & Distinctions

Jury Prize
Festival Política – Political Issues, Human Rights and Activism Festival, 2022 (Portugal)

Special Mention
Rising of Lusitania – AnimaDoc Film Festival, 2022 (Poland)

A Raia Award
Vía XIV – Verin International Short Film Festival, 2022 (Spain)

Honorable Mention – Kaiser Trophy | ABCA – Brazilian Association of Animation Cinema
São Paulo International Short Film Festival, 2022 (Brazil)

My Generation Award
Curtas Vila do Conde – International Film Festival, 2021 (Portugal)

Casa Comum Award
Porto Queer – International Queer Film Festival, 2021 (Portugal)

Press & Reviews

“O Teu Nome É” merges animation with reality, documentary with reportage… the result is a shocking and impactful retelling and deepening of a case that, despite being forgotten by the country, deserves to be remembered.

A sociological look at prejudice, poverty, prostitution, delinquency and crime (…) feels so far away [from the reality of] the majority of the audience – that one could say it’s fiction. “O Teu Nome É” provides a telling portrait of a conservative society, a society that needs more projects like this one… to change mentalities, educate, move forward and to prevent the possibility of such an episode from happening again.

Emanuel Candeias, in magazine-hd.com, 20.07.2021

The most violent moment of the night, [was] the animated documentary “O Teu Nome É” (…) sustained by a minimal, but very well made animation, Paulo Patrício crafted a work that, tells a story of great importance to our contemporary cultural heritage. Lest we forget.

Pedro Sesinando, in filmspot.pt, 19.07.2021

Paulo Patrício’s work doesn’t give in to demagoguery or easiness. Rejecting a “good people vs bad people” structure, he explores the complex circumstances surrounding this case of transphobia and human rights. The outcome isn’t just just a sensitive tribute, but provides an important perspective on the human condition in the context of contemporary Portugal.

Guilherme F. Alcobia, in c7nema.net, 17.07.2017

Paulo Patrício uses the diverse possibilities of animation to make an essay not so much “about” Gisberta, but “around her” (…) A movie that tries to fill the emptiness of her absence through the memories of her presence, with remarkable empathy and subtlety and through exploring a mixture of different formal environments.

Jorge Mourinha, in Público – Ípsilon, 17.07.2021

Paulo Patrício is back to Curtas with another pertinent and sensitive film that gives room to unheard voices. Far from the “soundbite” culture of most mainstream news media. Patrício uses his film as an opportunity to broaden the reflection on gender and sexual discrimination – an issue still so entrenched in the Portuguese society.

Paulo Cunha, in Curtas Vila do Conde – International Film Festival’s Guide, 2021

Production: Animais – AVPL
Co-Production: Ambiances Asbl | Luna Blue Film
Distribution: Agência


Documentário animado que evoca Gisberta Salce Jr., uma brasileira transexual, seropositiva, toxicodependente e sem-abrigo que, foi violentamente torturada durante vários dias por um grupo de 14 adolescentes num edifício abandonado no Porto, em 2006, onde acabou assassinada.

A curta conta com testemunhos de amigas transexuais de Gisberta, assim como entrevistas inéditas a dois dos envolvidos no caso. Abordando conceitos como memória, violência, condição social, discriminação e identidade de género, “O Teu Nome É” confronta dessa forma diferentes perspectivas e dimensões da condição humana.

O Teu Nome É teve estreia mundial no dia 18 de Julho, 2021, no Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, desde aí foi seleccionado e exibido em vários festivais, entre os quais: Festival Internacional de Cinema de Guadalajara , Cinanima – Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho, Zinebi – Festival Internacional de Documentários e Curtas-Metragens de Bilbau, Caminhos do Cinema Português, AnimaPIX, Queer Porto – Festival Internacional de Cinema Queer, Millennium Docs Against Gravity Film Festival, Festival Política, Desobedoc, Monstra – Festival de Animação de Lisboa, Animac – Festival Internacional de Animação da Catalunha, Anima – Festival Internacional de Animação de Bruxelas, Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo.

Prémios & Distinções

Prémio do Júri
Festival Política, 2022 (Portugal)

Menção Especial
Rising of Lusitania – AnimaDoc Festival de Cinema, 2022 (Polónia)

Prémio A Raia
Vía XIV – Festival Internacional de Curtas de Verín, 2022 (Espanha)

Menção Honrosa – Troféu Kaiser | ABCA – Associação Brasileira de Animação
Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, 2022 (Brasil)

Prémio My Generation
Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, 2021 (Portugal)

Prémio Casa Comum
Porto Queer – Festival Internacional de Cinema Queer, 2021 (Portugal)

Imprensa e Críticas

“O Teu Nome É” funde animação com realidade, documentário com reportagem, resultando num chocante e impactante recontar e aprofundar de um caso que apesar de já estar esquecido para o pais, merece ser relembrado.

A incursão social sobre o preconceito, a pobreza, a prostituição, a delinquência e o crime (…) parece tão deslocada da realidade da maioria do público, que quase se diria que é ficção. “O Teu Nome É” é um relevante retrato de uma sociedade conservadora que precisa de projetos destes assim… para mudar mentalidades, educar, progredir e impedir que episódios destes se repitam.

Emanuel Candeias, in magazine-hd.com, 20.07.2021

O momento mais violento da noite, [foi] a animação documental “O Teu Nome é”… suportada por uma animação minimal, mas muito bem conseguida, Paulo Patrício construiu uma obra que, pela importância do tema, deveria fazer parte do nosso património cultural contemporâneo. Para que não nos esqueçamos.

Pedro Sesinando, in filmspot.pt, 19.07.2021

A obra de Paulo Patrício não cede a demagogias ou facilidades, rejeitando uma estrutura de “bons vs. maus” e explorando as complexidades das circunstâncias sociais que envolveram este caso de transfobia e direitos humanos. O resultado é não só um tributo sensível, mas também uma importante janela para a condição humana no Portugal contemporâneo.

Guilherme F. Alcobia, in c7nema.net, 17.07.2021

Paulo Patrício utiliza a multiplicidade de possibilidades da animação para desenhar um ensaio não tanto “sobre” Gisberta como “à sua volta”… Um filme que procura preencher o vazio de uma ausência através das memórias da sua presença, com assinalável empatia e trabalhando com subtileza diferentes ambientes formais.

Jorge Mourinha, in Público – Ípsilon, 17.07.2021

Paulo Patrício está de volta ao Curtas com mais um filme pertinente e sensível que ouve vozes nunca ouvidas, oferecendo uma rara oportunidade de reflexão mais alargada, longe do “sound bite” mediático da comunicação miserabilista, sobre a discriminação de género e sexual que continua tão presente na sociedade portuguesa.

Paulo Cunha, in catálogo do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, 2021

Por apresentar uma forte crítica social em relação à violência contra os corpos trans, migrantes, doentes, pobres, tornados precários, e invisibilizados; por fazer esta crítica a partir de uma história local, mas que é também universal; por trazer um novo olhar sobre a história de Gisberta, aliando o registo documental a uma linguagem estética original; e por manter viva a única voz ausente do filme no espaço da cidade.

Ana Gabriela Cabilhas, Jorge Gato e Marinela Freitas, Nota do Júri do Porto Queer – Festival Internacional de Cinema Queer

Produção: Animais – AVPL
Co-Produção: Ambiances Asbl | Luna Blue Film
Distribuição: Agência